Bem-vindo ao site do CEH Ricardo Nardelli

PRAÇA MITIO TANAKA

Mitio Tanaka

 

Nasceu no dia 1º de março em 1918, na província de Yamaguchi, região de Chugoku, no sudoeste do Japão. Chegou ao Brasil em 1932, com 14 anos de idade, juntamente com sua irmã Imaie, recém-casada com Yoshitomo Nakano.

 

Inicialmente, como em quase toda a imigração japonesa, buscavam as lavouras de café na região noroeste do Estado e, logo a seguir, descobriram Ribeirão Pires.

 

Em 1944, Mitio inaugurou um estabelecimento comercial na Rua Capitão José Gallo, que se tornaria o ponto de encontro da comunidade japonesa da cidade.

 

Casou-se com Teruko Myahara. Faleceu em 1995, aos 77 anos, deixando os filhos Serjo, Minoro e Mitihiro.

 

O jardim

 

Em 1971, sob a gestão de Antônio Simões e Hidetoci Nakano (vice), inaugurou-se o Jardim Oriental. Um de seus idealizadores foi, no ano de 1960, o sr. Mitio Tanaka.

 

Em 2001, a cidade institui no 21 de abril o Dia Municipal da Poesia Kai-Kai, comemorada anualmente pela Associação Cultural Nipo-Brasileira no jardim. Em 2008, na esteira das comemorações do Centenário da imigração japonesa no Brasil, o jardim ganha oficialmente o nome de Praça Mitio Tanaka.

 

A inauguração foi marcada com o acréscimo de um portal (Tori) e cinco lanternas de pedra (Toro), reforçando ainda mais a agradabilidade do jardim. Hoje, o local recebe vários nomes populares, até mesmo pela própria colônia japonesa.  Entre esses nomes, destacam-se Jardim Japonês, Jardim Oriental e Jardim dos Namorados. É comum a realização de sessões de fotos de noivos no local.

 

Elementos e sua simbologia

 

Bambu: De acordo com a tradição, o bambu é um símbolo da força e resistência e persistência. Diante do vento e tempestade ele se enverga, mas não quebra.

 

Cascatas: Segundo a cultura japonesa, elas simbolizam o ciclo da vida, do nascimento à morte. A água, em si, simboliza a vida.

 

Lago de carpas: As carpas simbolizam a prosperidade, além de serem uma espécie resistente, pois possuem a habilidade de nadar contra a correnteza.

 

Caminho de pedra: O caminho de pedras representa a evolução do ser humano durante a vida.

 

Cantaria oriental: Na cultura oriental a pedra tem o sentido de  conhecimento, longevidade, e principalmente, eternidade. A utilização de pedras é considerada pelos mestres na arte de criação dos jardins japoneses como o elemento mais difícil de ser trabalhado com harmonia.

 

Gazebo dos Namorados: É um espaço de lazer, descanso, apreciação da paisagem, mas, sobretudo, de meditação. É muito usado por namorados e amigos que desfrutam momentos de carinho, fraternidade, amizade ou simplesmente de conversa.

 

Lanternas de pedra: Conhecidas como Toro, a luminárias simbolizam o clareamento dos caminhos e iluminação da mente para quem caminha pelo jardim.

 

Monumento ao Hai-Kai: O poema Hai-Kai (Haiku), segundo definição enciclopédica, é uma forma curta de poesia japonesa geralmente caracterizada por três aspectos: O "corte" (kiru), geralmente representado pela justaposição de duas imagens ou ideias e um kireji ("palavra que corta"), entre elas, um tipo de marca de pontuação verbal que sinaliza o momento da separação e destaca a maneira pela qual os elementos justapostos são relacionados. O Haiku tradicional consiste em 17 on (também conhecida como moral), em três frases de 5, 7 e 5 on respectivamente. Um kigo (referência sazonal), normalmente gerado de um saijiki, uma lista extensiva e definitiva de tais palavras.

Na Praça Mitio Tanaka, o poema inscrito na pedra é de autoria de Takahana Kiyioshi. Todo dia 21 de abril é comemorado o Dia Municipal da Poesia Hai-Kai, com a participação da Colônia Japonesa.

 

Monumento ao Japão: Escultura de aço carbono assinada pelo artista Lúcio Bittencourt, representa uma bandeira estilizada do Japão.

 

Plantas orientais: As árvores simbolizam a eternidade. É bastante comum encontrar uma cerejeira, conhecidas como Sakura, que simboliza a felicidade. O povo japonês vê com muita alegria o momento que as flores de cerejeira florescem e reúnem-se para o Hanami Matsuri (Festival das Flores), que ocorre entre o fim de março à meados de abril.

 

Ponte: A ponte simboliza a transição do mortal para o sagrado.

______

 

Fontes pesquisadas:

 

Gazeta do Povo. Paisagismo e Jardinagem. Disponível em: <link>. Acesso em 05 out 2017.

Aido Bonsai. Ishigumi - pedras no jardim japonês. Disponível em <link> . Acesso em 05 out 2017.

 

Texto original sobre Mitio Tanaka: Prof. João Antônio Ramos. Revisão: Marcílio Duarte.

Horários e Informações

Doação de objetos

Fale Conosco

Desenvolvido por Marcílio Duarte. 2017. Direitos autorais doados ao município de Ribeirão Pires.